segunda-feira, 30 de abril de 2018

O convívio do american staffordshire em sociedade

O convívio do american staffordshire em sociedade


Quando iniciei a criar há 26 anos não imaginava todas as potencialidades e virtudes possíveis para essa raça valente e tida por muitos como briguenta.
Na verdade eles são corajosos e possuem dentro de si, em seu inconsciente, algumas sequelas do condicionamento que receberam nos primórdios do século passado. Naquela época muitos eram selecionados para lutarem em rinhas. Felizmente, essa tarefa imposta para a raça foi abandonada e gradualmente a seleção e o novo condicionamento foi revelando uma personalidade maravilhosa e indescritível. 

Até hoje eu me surpreendo com relatos de pessoas de seus americans. Como enviei americans para todos os cantos do país tenho uma casuistica respeitável de mais de 1000 exemplares. Imaginem quatro americans e um pitbull lado a lado comendo em harmonia. Um veterinário do RJ me enviou uma foto recente que vou anexar aqui. Tres desses americans são de minha criação. 



Outro fato que recentemente descobri e gostaria de relatar é maravilhoso. Uma fêmea que enviei para o RJ reiteradamente toma atitudes que denotam uma inteligência extremamente aguçada. Seu dono me contou que protegeu sua esposa numa ocasião em que uma pessoa tentou entrar em sua casa. Outra ocasião foi caçar e a fêmea agia como uma perfeita caçadora localizando a presa. E agora, vendo que os salva-vidas levavam uma corda até a pessoa que estava se afogando passou a levar por conta própria. Quem me contou foi uma outra pessoa que queria adquirir uma fêmea que fosse igual a ela. Ocorre que não se pode afirmar que um filhote mais tarde terá essa habilidade. Cheguei a brincar: não duvido que ela possa querer surfar mas não posso garantir futuros comportamentos. 
A verdade é que a experiência de se ter um american staffordshire terrier é única e inesquecível. Uma pessoa que adquiriu uma fêmea há 6 meses me ligou dizendo que estaria prestes a mudar de residência e país. Iria para os USA. Como ele se tornou um amigo me pediu para receber de volta a moça. Ele não teve coragem de enviar de Brasília para Porto Alegre sem acompanhá-la no mesmo vôo, Veio no sábado para retornar no domingo. Ocorre que passados trinta dias não suportou viver longe da Maya e veio de Brasília buscá-la. Perguntei o que fará quando viajar para os USA. Ele disse que levará a Maya. Ele, a esposa e o filho voltaram a se sentirem felizes. Sem a Maya a vida ficou diferente e ele até ficou deprimido. Agora diz que está equilibrado novamente. 
Criei um grupo no whatsapp há uns 3 meses. Coloquei o nome de Família New Kraftfeld. Quem possui um cão de nossa criação pode ingressar. Basta pedir. O grupo se comunica diariamente contando suas experiência. É emocionante perceber o quanto o amor se multiplica e como essa raça possui um talento especial de nos conquistar e tornar a vida melhor. O amor que nos oferece é interminável e destituído de condições. Alegria e fidelidade. O american possui as virtudes que poucos seres humanos desenvolvem pois não é difícil termos decepções e insegurança nas relações sociais e até mesmo em família. Talvez essa estabilidade que encontramos na relação com um american que se torna um ente familiar permita a existência de uma energia e sentimento que  preencha alguns vazios existenciais. Mas essa fusão entre o ser humano e o american é diretamente proporcional ao tempo e a qualidade de nosso relacionamento com êle. Uma criança que é abençoada com o presente de ter um american nunca mais esquecerá a experiência e certamente ajudará a forjar uma melhor personalidade e caráter pois os valores que encontrará nessa relação alimentarão a confiança de que esse mundo possa ser melhor e feliz. 




























American Stafforshire uma paixão que se tornou hábito

Uma paixão que se tornou hábito A palavra Venda de Filhotes de American Staffordshire me parece forte. Por isso nunca escrevi essa pala...